Apesar de restrições, tablet Nexus 7, do Google, funciona bem no Brasil

O Google e a Asus ainda não divulgam previsão de quando o Nexus 7, tablet de 7 polegadas feito pelas duas empresas, chegará ao Brasil.

Fonte: LEONARDO LUÍS | Folha de SP

Enquanto isso, consumidores brasileiros mais apressados que quiserem trazer o Nexus 7 ao país poderão usar sem grandes restrições quase todos os recursos do aparelho, que tem Jelly Bean, versão mais recente do Android.

A Folha testou no Brasil o modelo de 8 Gbytes, vendido a US$ 199 nos EUA. Uma das novidades do sistema que integra o Nexus 7 é o Google Now, aplicativo nativo cuja proposta é dar numa única interface informações que ele supõe relevantes ao usuário no momento. Retângulos chamados de cards exibem dados sobre o clima, o trânsito e os próximos compromissos do usuário, entre outras coisas.

O Now mostra os cards quando julga conveniente. Dá para mudar o nível de prioridade, mas o usuário não pode exibi-los quando quer. Para alguns recursos funcionarem, é preciso ativar o Google Latitude e o serviço de histórico de pesquisa do Google.

Nos testes da Folha, feitos em São Paulo, o sistema errou por muito pouco onde ficava a casa do usuário, mas dá para editar o endereço. O Now usa o dado para indicar no card de trânsito a quanto tempo o usuário está de casa.

O card de transporte público exibiu corretamente linhas de ônibus que passavam num ponto perto do usuário. O de esportes ainda não funciona com equipes brasileiras. A proposta dele é mostrar informações como resultados de jogos sobre o time pelo qual o usuário torce -o sistema adivinha isso a partir do histórico de pesquisas.

VOZ

O Google Now inclui um recurso de reconhecimento de voz semelhante ao Siri, da Apple, mas ele não funciona com palavras em português.

O sistema pode até reconhecer as palavras de uma frase como “Quem é a presidente do Brasil?”, mas não consegue interpretar a pergunta. O resultado será uma busca feita no Google. Quando dita em inglês (“Who is the president of Brazil?”), a mesma pergunta traz como resultado um card com a foto e o nome da presidente e uma voz que diz: “The president of Brazil is Dilma Rousseff”.

O aplicativo do Google Music vem pré-instalado no Nexus 7, mas, atualmente, usuários brasileiros não podem se inscrever no serviço de armazenamento de música on-line nem comprar canções, livros e filmes na loja de conteúdo digital do Google. No Brasil, só músicas armazenadas no aparelho podem ser reproduzidas pelo Music.

Outro nativo é o Google Currents, compilador de publicações jornalísticas que ainda não tem nada do Brasil entre as opções pré-integradas ao app. No entanto, quem tem Google Reader pode ler seus feeds no Currents.

A leitura no Nexus 7 é muito confortável, especialmente por conta do peso (340 g) e do tamanho. A tela pequena, de 7 polegadas, minimiza o problema de adaptação que alguns apps, voltados a smartphones, costumam ter em tablets com Android.

Governo reduz alíquota de IPI de painéis

Decreto que zera imposto para painéis de madeira, laminados de alta resisência e de PVC foi publicado no Diário Oficial da União; alguns produtos tinham alíquota de até 15% 

Fonte: Rosana de Cássia | Agência Estado

BRASÍLIA – O governo publicou nesta segunda-feira, no Diário Oficial da União (DOU), decreto que reduz para zero a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre painéis de madeira, laminados de alta resistência e de PVC. Alguns produtos tinham alíquota de 15% e outros de 5%.

O objetivo, segundo a Receita Federal, “é estimular os setores envolvidos, contribuindo para a manutenção dos níveis de atividade econômica e de emprego e renda”. A renúncia de receitas decorrente do decreto é estimada em R$ 116,12 milhões de reais.

Impostos “invisíveis” respondem por até 93% do preço de produtos e serviços no Brasil

Estudo exclusivo para o “Estado” analisa 25 itens e mostra como os tributos indiretos afetam a renda e o consumo de uma família da classe média.

Acesse o link http://economia.estadao.com.br/especiais/impostos-invisiveis-respondem-por-ate-93-do-preco-de-produtos-e-servicos-no-brasil,179562.htm e veja uma simulação com animação sobre a incidência de impostos nos gastos da família.

Fonte: Valor

MEC acena com mais verba a Estados, após avaliação ruim do ensino médio

Fonte: Valor

Uma semana depois de anunciar os maus resultados do ensino médio no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) – 11 Estados deixaram de cumprir a meta -, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, convocou todos os secretários estaduais de Educação para discutir saídas para o ciclo mais problemático do ensino básico, cuja responsabilidade constitucional é dos Estados. O Ideb é o principal indicador de qualidade educacional do país.

Mercado reduz previsão de crescimento do PIB em 2012, mostra Focus

Fonte: Por Ana Conceição | Valor

SÃO PAULO – Analistas do mercado continuaram a reduzir a estimativa para o crescimento da economia brasileira em 2012, apesar dos sinais positivos de alguns indicadores divulgados na semana passada.

A mediana das projeções para o PIB no boletim Focus, do Banco Central, coletadas junto a mais de cem instituições, recuou – pela terceira semana consecutiva – de expansão de 1,81% para 1,75%.

Para 2013, a projeção do PIB foi mantida em 4% de crescimento.

Na semana passada, o BC informou que seu Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) subiu 0,75% em junho, ante o mês anterior, com ajuste, em linha com as expectativas do mercado, depois de ter recuado 0,014% em maio. Foi a variação mais alta do indicador desde março de 2011, quando marcou expansão mensal ajustada de 1,47%.

Outros indicadores mostraram crescimento do emprego em julho e do consumo em junho. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas no varejo ampliado e restrito subiram 1,5% e 6,1%, respectivamente, na comparação dessazonalizada com maio.

Já o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostrou criação líquida de 142,5 mil empregos em julho, 1,37% mais que no mesmo período do ano passado.

Indústria

Junto com o PIB, as expectativas para a produção industrial seguem se deteriorando no Focus. A mediana das estimativas para 2012 recuou de uma contração de 1% prevista na semana passada, para queda de 1,2%, décima segunda queda consecutiva nas projeções. Para 2013, contudo, a mediana subiu de uma expansão de 4,30% para 4,40%.

Na semana passada, como mais uma tentativa de estimular a retomada da atividade econômica do país, o governo anunciou concessões de 7,5 mil km de rodovias e 10 mil km de rodovias à inciativa privada.

Inflação

As expectativas do mercado financeiro para a inflação neste ano continuam a se deteriorar. A mediana das estimativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) em 2012 subiu de 5,11% para 5,15%. Foi a sexta elevação consecutiva nas projeções, que há um mês estavam em 4,92%.

Para 2013, contudo, as apostas se mantiveram em 5,50%.

O grupo Top 5 – analistas que mais acertam as previsões – manteve a previsão para o IPCA em 5,15% neste ano, e em 5,50% em 2013 (mediana de médio prazo).

Juro

Os analistas em geral não alteraram suas apostas para o juro. A mediana para a Selic ao fim deste ano se manteve em 7,25%. O Top 5 ficou mais conservador e elevou sua expectativa para o juro no final deste ano, de 7,00% para 7,25%, também na mediana de médio prazo.

O mercado continua a apostar que o Copom vai reduzir a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual na reunião dos próximos dias 28 e 29 de agosto. A taxa está atualmente em 8,0%.

Para o fim de 2013, a mediana das projeções cedeu de 8,50% para 8,38%. O Top 5 também reduziu suas estimativas para a taxa Selic no ano que vem, de 8,75% para 8,63%.

Câmbio

Analistas do mercado financeiro mantiveram pela segunda semana consecutiva suas projeções para a taxa de câmbio ao final de 2012 e de 2013 em R$ 2,00, mostra o boletim Focus.

Na semana passada, o dólar acumulou leve alta e fechou negociado a R$ 2,015 na sexta-feira. Foi mais um período de limitada oscilação de preço, em que a moeda variou muito estreitamente em torno dos R$ 2,0.

Balança comercial

O boletim Focus mostrou que as projeções para o saldo da balança comercial em 2012 também foram mantidas em US$ 18 bilhões. Para 2013, houve pequena alta de US$ 14,20 bilhões para US$ 14,78 bilhões.

As estimativas para o investimento estrangeiro direto (IED) continuaram em US$ 55 bilhões em 2012 e em US$ 60 bilhões em 2013.

A mediana das projeções para o déficit em conta corrente em 2012 segue em queda. Saiu de US$ 59,25 bilhões para US$ 58,63 bilhões. Há um mês estava em US$ 62,15 bilhões. Para 2013, a estimativa ficou em US$ 70 bilhões.

A expectativa para a dívida líquida do setor público em 2012 passou de 35,20% do PIB para 35,27%. Em 2013, seguiu em 34%.