Brasil importou 64 mil iPads em 2010

Fonte: Folha.com – CAMILA FUSCO

Silva Junior/Folhapress

 O mercado brasileiro importou legalmente 64 mil iPads no ano de 2010.

Os números –que não consideram consumidores que trazem os aparelhos do exterior– foram apurados pela consultoria IDC Brasil junto à base de dados da Receita Federal e divulgados, com exclusividade, à Folha. Procurada, a Apple não comentou o número.

“No ano passado, o Brasil vendeu mais de 13 milhões de computadores. Os números dos tablets chamam a atenção pela categoria ser nova, mas são pequenos diante dos PCs vendidos”, diz Luciano Crippa, gerente de pesquisas da IDC Brasil.

Para o ano, a expectativa é que sejam vendidos 300 mil tablets no Brasil.

“Por aqui, embora exista também o Galaxy Tab, da Samsung, existe a febre do iPad. Não temos um mercado de tablets no Brasil, por enquanto temos um mercado de iPads”, afirma.

O número de aparelhos vendidos da Samsung, lançado em novembro, chegou a cerca de 20 mil. Procurada, a empresa não comentou.

O iPad é vendido hoje em cerca de 150 lojas de varejo do país, que registraram o pico das vendas no fim do ano.

“O Natal puxa vendas, mas ainda há procura forte”, diz Marcílio Pousada, da Livraria Saraiva.

Apesar dos rumores sobre a nova versão do iPad para os próximos meses, os varejistas não percebem queda na procura pelo aparelho.

“Não sentimos adiamento de compra. Continuamos com demanda forte principalmente com o crescimento no volume de aplicativos, que interessa o consumidor”, diz Pimentel.

Já a Fnac afirma que as vendas pós-Natal caíram 50%, um volume não considerado ruim para eletrônicos em janeiro.

Embora exista a tese de que os tablets possam substituir os netbooks, entre os analistas e fabricantes essa visão ainda não é tão clara.

“Existe mercado para todos os aparelhos e ainda surgirão outras opções em mobilidade para concorrer nesse mercado”, afirma Ivair Rodrigues, diretor da IT Data.

Para Silvio Stagni, vice-presidente de telecom da Samsung, os tablets não devem “roubar” todos os consumidores dos netbooks porque a proposta dos aparelhos é diferente.

“O netbook ainda é visto como o computador de preço mais barato. Quem quer os tablets é o consumidor que está interessado na mobilidade”, afirma.

Rafael Marquez, da TIM –operadora que revende o Galaxy Tab, da Samsung–, diz que o consumidor só está reticente quanto ao preço.

“Quando o preço baixar, veremos a massificação. Poderemos ver neste ano o Natal dos tablets, como aconteceu em 2010 com os smartphones”, diz.


 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: