Republicanos devem assumir controle da Câmara nos EUA, segundo projeções

Fonte: Reuters em Washington / Folha.com

Com as urnas fechadas na maioria dos Estados americanos, as projeções das redes americanas indicam que os republicanos vão ganhar assentos o suficiente para assumir o controle da Câmara dos Representantes, além de conquistar ganhos significativos também no Senado –confirmando as pesquisas de intenção de voto. As eleições legislativas de meio de mandato nos EUA simbolizam uma forte como crítica ao governo do presidente Barack Obama.

Nestas eleições legislativas de meio de mandato, os americanos renovam por completo a Câmara de Representantes (435 cadeiras) e 37 ocupantes do Senado (de um total de cem), assim como 37 governadores dos 50 Estados do país.

Com todos os 435 assentos em jogo na Câmara dos Representantes, os republicanos precisam tomar 39 assentos dos democratas para garantir a maioria de 218 deputados. Devem conseguir ao menos 50, projeta a rede CNN. Já o MSNBC estima que os republicanos vão assumir 237 vagas, contra 198 dos democratas. A Fox News fala em ganhos significativos na casa.

Às 23h50 desta terça-feira, as projeções da CNN indicavam que de 21 vagas em disputa no Senado, 14 iriam para republicanos e sete para democratas. Já na Câmara dos Representantes, de 177 vagas, 113 iriam para os republicanos e 64 para os democratas, segundo projeção da CNN.

A ansiedade criada com a crise econômica e o descontentamento com o presidente Barack Obama levaram os republicanos a conquistar enormes vitórias que lhes daria uma maioria na Câmara dos Representantes, tirando a porta-voz democrata Nancy Pelosi do cargo e pisando no freio na agenda legislativa de Obama.

A vitória do democrata Joe Manchin na corrida pelo Senado em Virgínia Ocidental pode assegurar que os democratas mantenham ao menos uma estreita maioria no Senado. Para ganhar o controle, os republicanos têm a difícil tarefa de vencer seis disputas cruciais ao Senado, incluindo na Califórnia e em Washington, de tendência democrata.

Para a Câmara, três redes americanas projetaram que os republicanos vão conquistar mais do que os 39 assentos necessários para comandar a casa e promover o líder John Boehner a porta-voz da casa.

A vitória dos republicanos em ao menos uma das casas do Poder Legislativo enfraquece o poder de Obama sobre medidas como a prorrogação dos cortes no imposto de renda e a aprovação de leis de imigração, por exemplo.

Obama assumiu o governo há dois anos, com a esperança de que poderia tirar os EUA da profunda crise econômica. Mas os persistentes altos níveis de desemprego e um deficit de orçamento cada vez maior colocou muitos eleitores contra ele e seus colegas democratas, após eles terem aprovado um custoso pacote de estímulo econômico, doações para as indústrias e reforma dos sistemas financeiro e de saúde.

Os republicanos da Flórida (Marco Rubio) e do Kentucky (Rand Paul) tornaram-se os primeiros candidatos apoiados pelo Tea Party a ganhar cadeiras no Senado, garantindo a entrada de visões mais conservadoras na casa. Outra queridinha do Tea Party, a republicana Christine O’Donnell, perdeu a corrida pelo Senado em Delaware.

O Tea Party é um movimento populista de extrema-direita, motivado pela oposição aos impostos, à elevação do gasto público e à reforma migratória.

DIA DE VOTAÇÃO

A votação começou às 8h (de Brasília) e desde as 13h, quando Alasca e Havaí abriram as urnas, todos os 50 Estados americanos participavam das eleições. As primeiras urnas começaram a fechar às 20h (de Brasília) e a última, no Alasca, deve fechar às 2h desta quarta-feira.

Pesquisas preliminares de boca de urna mostraram o eleitorado bastante preocupado com a economia, e uma ampla maioria dizendo que o país está seriamente no caminho errado, informa o “New York Times”. A maioria também disse desaprovar o modo como Obama e os membros do Congresso cumpriram seus papeis. A pesquisa foi feita pelo Edison Research, um grupo independente.

Dos entrevistados, oito em cada dez se disseram preocupados com o rumo da economia no ano que vem, e mais de quatro em cada dez disseram que a situação financeira de sua própria família piorou nos últimos dois anos, informa o jornal.

Às 15h (de Brasília) de amanhã, depois portanto do fechamento das urnas e com a maioria dos resultados das eleições conhecidos –embora em alguns casos a definição dos vencedores possa levar dias–, o presidente Barack Obama deverá conceder uma entrevista coletiva na Casa Branca. O jornal americano “The New York Times” chamou o evento de “post mortem”, considerando a esperada derrota dos democratas nas urnas.

A participação do eleitor é tipicamente baixa em eleições não-presidenciais. Nas eleições legislativas de 2006, foi de apenas 47,8% –o melhor resultado registrado desde 1994, quando 48,3% dos eleitores foram às urnas. Já nas presidenciais de 2008, 63,6% dos eleitores inscritos emitiram seu voto, segundo a agência de recesseamento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: